Mercedes

'Mercedes', espetáculo do Grupo Emú que celebra vida e obra da bailarina e coreógrafa Mercedes Baptista - um dos maiores ícones da cultura negra no Brasil - fará sete apresentações no Festival X-Tudo SESI Cultural - Edição Cultura Negra.

 

'Mercedes', espetáculo do Grupo Emú que celebra vida e obra da bailarina e coreógrafa Mercedes Baptista - um dos maiores ícones da cultura negra no Brasil - fará sete apresentações no Festival X-Tudo SESI Cultural - Edição Cultura Negra, de 14 a 28 de julho, nas cidades do Rio de Janeiro (Centro e Jacarepaguá), Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaperuna, Macaé e Petrópolis. As sessões serão precedidas por uma Oficina de Dança Afro-brasileira e Tendências Contemporâneas para Dança Afro , ministrada por Fábio Batista e acompanhamento percussivo de Kaio Ventura. 
 
Bailarina de formação erudita, Mercedes Baptista (1921-2014) foi a primeira mulher negra a compor o corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Pioneira da dança moderna brasileira e principal responsável pela disseminação das alas coreografadas do carnaval carioca, Mercedes é referência internacional da dança afro-brasileira.
 
'Mercedes' é o primeiro projeto de construção cênica e pesquisa em Teatro Negro do Grupo Emú. Mais de 3.000 pessoas já assistiram ao espetáculo que estreou em maio de 2016 na Arena do Espaço Sesc, em Copacabana, e já participou de importantes festivais e mostras brasileiras, como a Mostra Benjamin de Oliveira, em Belo Horizonte (MG), e a Mostra Olonadé, da Cia dos Comuns, no Rio de Janeiro.
 
A música é utilizada como signo poético de representação da ponte entre a formação clássica e os conhecimentos das danças negras, através da junção de instrumentos eruditos com os tambores de matrizes africanas. O universo da ficção submete um retorno às expressões afro-brasileiras, através da apresentação de uma narrativa em torno da construção da identidade negra na dança brasileira, contada a partir de fatos reais e fictícios da vida da personagem título.
 
No espetáculo, nomes de diferentes gerações fazem-se presentes dando credibilidade à obra. A personagem protagonista é vivida por Iléa Ferraz, Sol Miranda e Shirlene Paixão. Na liderança artística, Fabiano de Freitas supervisiona duplamente a direção de Thiago Catarino e Juracy de Oliveira e a dramaturgia de Sol Miranda e Cássio Duque, Sérgio Pererê na direção musical, Kadú Monteiro na composição original e Kaio Ventura na composição rítmica original. Paulo César Medeiros no desenho de luz, Priscila Lacerda na preparação vocal. Além de contar com Charles Nelson, Fábio Baptista, Elton Sacramento e Mestre Jagunço na preparação corporal original. As coreografias e Direção de movimento são de Fábio Baptista.
 
Oficina gratuita de dança afro-brasileira e tendências na criação da dança afro contemporânea
A oficina promove o contato dos alunos com a dança afro-brasileira a partir da técnica formatada por Mercedes Baptista, obtendo bases para a entrada do estilo contemporâneo no processo de criação coreográfico. A dança moderna é o eixo estrutural para capacitação do corpo, ou seja, o trabalho de flexibilidade e força. Ao final, o resultado será uma célula coreográfica com a contribuição de todos os participantes a partir da experiência vivida na oficina.
 
A proposta é dialogar com técnicas contemporâneas, como laban, pilates e hip-hop, incorporando ao sistema de aula movimentos que façam essa junção de estilos sem comprometer a essência da dança afro. A oficina também evidencia as histórias da formação da dança, a contribuição de seus mestres e todo o cunho folclórico abraçado por Mercedes Baptista.
 
Professor: Fábio Costa - Coreógrafo, bailarino e diretor da Cia. Clanm de Dança Afro Contemporânea, da Escola Carioca de Dança Negras e do Projeto “PoDE-C Andaraí! ”. Fábio também é membro da Comissão Artística do SPDRJ.
Duração: 90 min
Capacidade: 25 pessoas
Público-alvo: bailarinos, atores, estudantes de dança
Vagas: 25 por aula
 
 
Circulação do espetáculo 'Mercedes' e oficinas de dança afro-brasileira com Grupo Emú no Festival X-Tudo SESI Cultural
Datas: 14, 15, 18, 19, 20, 21 e 28 de julho
Horários: Terça-feira às 19h30; Quarta-feira a sábado às 20h
Cidades: Rio de Janeiro (Centro e Jacarepaguá), Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaperuna, Macaé e Petrópolis.
Valor do ingresso: R$10,00 (dez reais)
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 70 min
 
 
Dia 14/07 - apresentação no SESI Caxias - com Oficina de Dança Afro e Tendencias Contemporâneas;
Dia 15/07 - apresentação no SESI Jacarepaguá - com Oficina de Dança Afro e Tendencias Contemporâneas;
Dia 18/07 - apresentação no SESI Centro - não haverá oficina.
 
 
Ficha Técnica:
Elenco: 
Iléa Ferraz – Mercedes póstuma 
Sol Miranda – Mercedes
Shirlene Paixão – alternante Mercedes
Paula Pardon – Mãe de Mercedes e ativista
Reinaldo Junior – Abdias do Nascimento 
João Alves – alternante Abdias do Nascimento
Gabriela Luiz– Eros Volúsia e Katherine Dunham
Emerson Ataíde – Maria e ativista
Renata Araújo - Repórter
Bailarinos: Diogo Nunes, Emerson Ataíde, Evandro Machado, Priscilla Lúcia e Renata Araújo 
Grupo: Grupo Emú
Idealização: Sol Miranda
Dramaturgia: Grupo Emú
Texto: Cássio Duque e Sol Miranda
Direção: Juracy De Oliveira e Thiago Catarino
Supervisão de Direção e de Dramaturgia: Fabiano De Freitas
Direção de Movimento e coreografias: Fábio Batista
Preparação corporal de composição: 
Dança Afro-brasileira – técnica de Dona Mercedes Baptista: Charles Nelson/ Balé, danças de matrizes africanas e Dança Contemporânea: Elton Sacramento/ Dança Moderna e Dança Afro-brasileira Contemporânea: Fábio Baptista/ Capoeira: Mestre Jagunço
Direção Musical: Sérgio Pererê
Trilha Original: Kadú Monteiro e Sérgio Pererê
Direção de Produção e Elaboração de Projeto: Sol Miranda
Supervisão de Projeto: Thiago Catarino
Coordenação de Produção: Renata Araújo
Produção Executiva: Aliny Ulbricht e Fernando Pereira
Direção de Comunicação: Bruno F. Duarte e Silvana Bahia
Assessoria de Imprensa: Duetto Comunicação




Noite da Comédia Improvisada estreia no Teatro Leblon – Sala Marilia Pêra
Peça é dividida estruturalmente em jogos de improvisação teatral comandados pela plateia
Eu sou eu Porque meu Cachorrinho me Conhece
“Eu sou eu Porque meu Cachorrinho me Conhece” faz temporada com entrada franca, em horário alternativo, no Glauce Rocha
Arandu – Lendas Amazônicas
Arandu – Lendas Amazônicas” estreia temporada no dia 7 de abril no CCBB Rio de Janeiro, aproveitando o mês que se comemora o Dia do Índio
Rolé Carioca 2018
ROLÉ CARIOCA 2018 - Projeto lança agenda 2018 com evento no CRAB no dia 31 de março de 2018
PUBLICIDADE
TRANSAMÉRICA 101,3
RNT - ANUNCIE AQUI
Tempestuosa Depressagem
Tempestuosa Depressagem: Performance retrata a depressão em negros, principalmente em mulheres, no Centro Coreográfico
Bate-papo com o elenco do Grande Sertão: Veredas
Para celebrar e retribuir a acolhida do público carioca o elenco e a diretora realizam dois bate-papos sobre a obra de Guimarães Rosa, nos dias 24 e 25 de março, às 16h, na estrutura que recebe a e...
Mostra Mulheres em Cena
De 07 de março a 1º de abril – No Teatro Maria Clara Machado. Debates, oficina e aula de yoga dance.
Ciclo de Leituras: Todas as noites são de sonhos
O ciclo de leituras ‘Todas as noites são de sonhos’ ganha na próxima segunda, 19/03, a participação de Lília Cabral, Johnny Massaro e Letícia Colin.
PUBLICIDADE
De Volta ao Carrossel
Livro “De volta ao carrossel” é lançado pela Texto Território. Romance de Vilma Costa tem como cenário a comunidade Vila Kennedy.
#TEQUERORJ
Exposição #TEQUERORJ exalta o orgulho de ser carioca com fotos de Guto Costa, com curadoria de Lula Duffrayer exposição fica em cartaz na produtora Conexão Rio a partir de 10 de março.
PUBLICIDADE
TRANSAMÉRICA 101,3
RNT - ANUNCIE AQUI
NEWSLETTER e Notificações
Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão conteúdo exclusivo do teatro carioca, descontos e promoções
Nome
E-mail
 
PUBLICIDADE
GOOGLE+
FACEBOOK
PUBLICIDADE
MAIS ACESSADOS