O filho eterno - SEM INFORMAÇÕES


Sinopse:

O sucesso arrebatador de O Filho Eterno traz a peça de volta para o Rio de Janeiro. Depois de rodar por mais de 50 cidades pelo país e ir até Lisboa, o espetáculo chega ao Teatro Clara Nunes, na Gávea, para curtíssima temporada de 5 a 14 de julho para comemorar 300 apresentações. Baseado no premiado livro de Cristovão Tezza, a montagem de Daniel Herz mostra a luta diária de um homem às voltas com seu filho portador da Síndrome de Down. A adaptação teatral, que foca no desafio das nossas limitações e na relação entre pai e filho, ficou a cargo de Bruno Lara Rezende.
 
O monólogo, interpretado por Charles Fricks, da Cia Atores de Laura, chega a esse marco desde sua primeira montagem, em 2011, com inúmeros prêmios, entre eles:  APTR e Shell de melhor ator, Shell de categoria especial (direção de movimento), indicação ao Shell de melhor iluminação e Prêmio Orilaxé (categoria Teatro) para Daniel Herz. Criada em 1992, a companhia tem mais de 20 peças no currículo, sendo O Filho Eterno seu primeiro monólogo.
 
Inclusive, a montagem do texto partiu da vontade de Charles de encarar o desafio de entrar em cena sozinho. “A ideia era participar de uma montagem que não necessitasse de grandes produções ou de muita gente. O Daniel prontamente topou a ideia e convidou o Bruno para a empreitada. Logo depois, um amigo, o ator e produtor Pablo Sanábio, me indicou o livro para que eu o levasse para o teatro. Entrou em contato com o autor e tudo começou”, explica o ator. Oito anos depois, ele ainda encontra frescor para desempenhar o papel. “O texto é atemporal, com momentos muito emocionantes. Cada sessão é especial e a emoção se renova junto com a plateia”, garante.
 
Para Herz, a peça vai além da paternidade e da Síndrome de Down. “Essa ideia de aceitar e amar a diferença sempre nos interessou. Ela foge da dimensão narcísica de querer que o outro seja nosso espelho e abre espaço para a universalidade”, defende o diretor, que também está em cartaz com “Cálculo Ilógico” e “Isso Que Você Chama de Lugar”. E ele faz coro a Charles quando o assunto é a comemoração das 300 exibições. “Estou muito feliz, mas muito mais emocionado com esse número. É muito expressivo ter essa carga de tantas apresentações e histórias”, reflete. 
 
Ficha Técnica:
Do romance de Cristovão Tezza
Adaptação: Bruno Lara Resende 
Direção: Daniel Herz
Atuação: Charles Fricks
Iluminação: Aurélio de Simoni 
Direção de movimento: Marcia Rubin
Figurino: Marcelo Pies
Trilha sonora original: Lucas Marcier
Cenário original: Aurora dos Campos 
Assistente de direção: Clarissa Kahane
Consultoria Psicanalítica: Evelyn Disitzer
Produção: Elaine Moreira
Realização: Cia Atores de Laura



Duração: 60 minutos


Temporada:
Sem Informações!


Contato:
(21) 4042-6662 (Rio no Teatro)


Classificação:
14 anos


Genero:
Monólogo




PUBLICIDADE
TRANSAMÉRICA 101,3
RNT - ANUNCIE AQUI
NEWSLETTER e Notificações
Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão conteúdo exclusivo do teatro carioca, descontos e promoções
Nome
E-mail
 
PUBLICIDADE
GOOGLE+
FACEBOOK
PUBLICIDADE