LiveZilla Live Chat Software

Em Cartaz - O Marinheiro

« voltar

Sinopse:

A obra “O Marinheiro”, de Fernando Pessoa, publicada na revista modernista portuguesa Orpheu, em 1915, pode ser considerada inovadora, por prescindir e recusar todos os jogos de cena e movimentos, fazendo-a, assim, uma obra de vanguarda. 
 
A montagem dirigida por André Caldas, ator e doutor em Literatura, traz ao público o universo vivido por três irmãs, que, velando o corpo de uma donzela, fazem parte de uma trama a qual a realidade ficcional de sonho e de realidade acaba por ser mais presente que o próprio real.
 
A utilização da estaticidade como um recurso cênico preponderante na idealização da montagem, mantém-se presente em diversos momentos do espetáculo, além de diversos estímulos sensoriais, levando o público a um mergulho na atmosfera vivida pelas personagens.
 
Sobre o autor
Fernando Pessoa (1888-1935) foi um poeta português, um dos mais importantes poetas da língua portuguesa. "Mensagem" foi um dos poucos livros de poesias publicado em vida. Fernando Pessoa exerceu diversas profissões, foi editor, astrólogo, publicitário, jornalista, empresário, crítico literário e crítico político. Foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido " plural" como se definiu, criou vários poetas, que conviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidade. Os poetas não são pseudônimos e sim heterônimos, isto é, indivíduos diferentes, cada qual com seu mundo próprio, representando o que angustiava ou encantava seu autor.
 
Sobre o diretor
André Caldas é Doutor em Literatura Portuguesa, pela PUC-Rio, e professor do Colégio Pedro II. Como poeta, publicou o livro Ad Infinitum, em 2011, e já foi agraciado em diversos prêmios literários. Como ator, já participou de diversos espetáculos, além de participações em algumas novelas. Dirigiu e produziu o espetáculo O Ébrio, em 2006, participa como assistente de direção do espetáculo Memorial do Amor Inquieto, atualmente no Teatro Cândido Mendes, além de estar como ator e produtor do espetáculo infantil "Cururu, o sapo jururu " , que estreará em agosto na Casa de Espanha, indo depois para o Teatro Armando Gonzaga, entre outros. É diretor cultural da Casa de Espanha desde 2014.
 
Ficha Técnica:
Texto: Fernando Pessoa 
Direção: André Caldas
Supervisão: Sílvia de Carvalho
Direção de movimento: Janaína Gaia 
Elenco: Amanda Mendonça, Ana Laura Meirelles e Gabriela Garcia Áster 
Cenografia e Figurino: Eduardo Carvalho
Visagismo: Clara Sanpi 
Desenho de Luz: Diogo Borges
Direção de produção: André Caldas 
Comunicação e Marketing: Amanda Mendonça
Assessoria de Imprensa: Julio Luz
Realização: Grupo de Teatro A3G
Apoio Institucional: Casa de Espanha / Núcleo Artístico-Cultural Garcia Lorca


Dias, horários e valores:
Quarta às 19:30 - R$ 30,00 (Valor inteira)
Quinta às 19:30 - R$ 30,00 (Valor inteira)


Duração: 50 minutos


Temporada:
De 18/10/2017 Até 26/10/2017


Contato:
(21) 4042-6662 (Rio no Teatro)


Classificação:
12 anos


Genero:
Drama


 



PUBLICIDADE
Cartão #ClubeRNT
TRANSAMÉRICA 101,3
NEWSLETTER e Notificações
Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão conteúdo exclusivo do teatro carioca, descontos e promoções
Nome
E-mail
 
PUBLICIDADE
GOOGLE+
FACEBOOK
PUBLICIDADE