LiveZilla Live Chat Software

Em Cartaz - Poderosa Vida Não Orgânica Que Escapa

« voltar

Sinopse:

Teatro Inominável estreia a peça “poderosa vida não orgânica que escapa”, sobre um edifício no centro de uma grande cidade que resolve desabar.
 
Com oito anos de existência e trabalho continuado no Rio de Janeiro, a companhiacarioca Teatro Inominável, com direção artística e de produção de Diogo Liberano, apresenta a temporada de estreia de sua sétima criação, o espetáculo poderosa vida não orgânica que escapa, com dramaturgia de Liberano e direção de Thaís Barros.
 
Criada pelo renomado quadrinista americano Will Eisner, a graphic novel “O Edifício” (1987) inspirou a criação do Inominável ao apresentar a vida melancólica e solitária de pessoas que frequentavam um mesmo edifício numa grande cidade. A partir dessa referência, poderosa vida não orgânica que escapa apresenta um pequeno e velho edifício de três andares no centro de uma grande cidade. É “ele” o protagonista da história apresentada, “aquele” que vê, sente e ouve tudo o que acontece em seus interiores e também em seu exterior. É a partir dessa “sensibilidade” do edifício que, num dia, ele vem ao chão, decidindo desabar e levando consigo seus três moradores.
 
Criada originalmente por Diogo Liberano, indicado aos prêmios Cesgranrio e Shell em 2015 pela dramaturgia da performance “O Narrador” (criação anterior do Teatro Inominável), a dramaturgia de poderosa vida não orgânica que escapa busca ressaltar outros tipos de vida que não apenas a humana. Para isso, aposta no ponto de vista de um pequeno edifício que, num dado momento, se revela perplexo frente aos vícios e fraquezas do ser humano.
 
Em sala de ensaio, a diretora Thaís Barros investigou, junto ao elenco e à equipe de criação, maneiras diversas de transpor a linguagem dos quadrinhos para a cena teatral. Nas palavras dela: “A linguagem dos quadrinhos sempre me entusiasmou principalmente por imergir o leitor no universo particular de cada narrativa e ao mesmo tempo fazer com que sua própria imaginação complete todas as lacunas que ficaram em branco. É longe de ser uma história com figuras”.
 
Assim, encontrou-se uma encenação em que o espaço vazio do palco vai sendo, progressivamente, preenchido pelo jogo de deslocamentos e trajetórias dos três atores (André Locatelli, Diogo Liberano e Livs Ataíde), pela composição de luzes e sombras e, sobretudo, pela atmosfera musical composta originalmente por Rodrigo Marçal, importante colaborador do Teatro Inominável. 
 
Nas palavras do dramaturgo Diogo Liberano, em poderosa vida não orgânica que escapa “fazemos uma crítica à condição humana que segue rendida por posturas carregadas de culpa, egoísmo e intolerância. Diante dessas posturas, pensa o edifício, seria melhor deixar de ser, não? O gesto deliberado de vir ao chão – tomado pelo edifício – manifesta não uma desistência na raça humana, mas um chamar de atenção para os rumos que a humanidade, na contemporaneidade, parece estar tomando”.
 
Além do dramaturgo Diogo Liberano e da diretora Thaís Barros, outros integrantes do Teatro Inominável marcam forte presença nessa nova criação. Andrêas Gatto, Gunnar Borges e Márcio Machado assinam a direção de movimento do espetáculo. Juntos, eles investem num trabalho que busca nas oposições corporais e no jogo entre equilíbrio e desequilíbrio um modo criativo e expressivo de manifestar no corpo dos atores-personagens a instabilidade do edifício prestes a ruir. A produção do espetáculo também é assinada por outra integrante da companhia, Clarissa Menezes, reforçando o trabalho coletivo e autoral do Inominável. Para ela: "Trabalhar com arte e estar em cartaz com uma peça teatral hoje em dia é um ato de resistência e também de insistência. Quando tudo parece desmoronar e, de fato, desmorona, escolhemos criar como um modo de responder e enfrentar esses tempos difíceis em que vivemos".
 
Ficha Técnica:
Dramaturgia: Diogo Liberano
Direção: Thaís Barros
Atuação: André Locatelli, Diogo Liberano e Livs Ataíde
Direção Musical: Rodrigo Marçal
Cenário: André Locatelli, Eduardo Ferrera, Livs Ataíde, Pedro Henrique Müller e Thaís
Barros
Figurinos: Bárbara Faccioli e Juliana Valle
Direção de Arte: Marcela Cantaluppi
Direção de Movimento: Andrêas Gatto, Gunnar Borges e Márcio Machado
Colaboração de Movimento: Natássia Vello
Iluminação: Diogo Liberano e Thaís Barros
Orientação de Direção: Jacyan Castilho
Orientação de Figurino: Suely Gerhardt
Assistência de Direção: Ana Paula Gomes
Assistência de Iluminação: Gabriela Villela e Luiz Buarque
Registro Audiovisual e Fotográfico: Thaís Grechi
Design Gráfico: Diogo Liberano
Assessoria de Imprensa: Teatro Inominável
Produção: Clarissa Menezes
Realização: Teatro Inominável e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
 


Dias, horários e valores:
Sexta às 19:00 - R$ 20,00 (Valor inteira)
Sábado às 19:00 - R$ 20,00 (Valor inteira)
Domingo às 19:00 - R$ 20,00 (Valor inteira)


Duração: 50 minutos


Temporada:
De 04/08/2017 Até 24/09/2017


Contato:
(21) 4042-6662 (Rio no Teatro)


Classificação:
12 anos


Genero:
Drama


 



PUBLICIDADE
TRANSAMÉRICA 101,3
A Cigarra e a Formiga
NEWSLETTER e Notificações
Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão conteúdo exclusivo do teatro carioca, descontos e promoções
Nome
E-mail
 
PUBLICIDADE
GOOGLE+
FACEBOOK
PUBLICIDADE